epois do anúncio oficial do Facebook sobre o desranqueamento de conteúdo produzido por empresas e organizações, o que gerou no Brasil reações de veículos de mídia, como a Folha de S. Paulo, que deixou de publicar seus conteúdos na plataforma, alguns negócios B2B passaram a migrar seu conteúdo para o Instagram. Mas será que isso é viável?
Embora o algoritmo do Instagram tenha mudado muito nos últimos anos (quem lembra de como era bom ter o feed se organizando cronologicamente?), a rede social não vai deixar tão cedo de exibir conteúdo empresarial –isso porque o apelo maior do Instagram é justamente o comercial. Não é à toa que os negócios, agora, podem ter lojas integradas ao Instagram.

1. Cerca de 800 milhões de pessoas usam o Instagram.

Não é raro ouvir o gestor de marketing de uma empresa com foco em B2B dizer que o seu público não está no Instagram. Mas com esse número de usuários, fica difícil pensar que alguém, em algum ponto da sua jornada de produto ou serviço, não poderá ser atingido, especialmente se considerarmos que o Brasil é o país com o segundo maior número de usuários do Instagram do mundo, com 45 milhões – perdendo apenas para os Estados Unidos. Você pode até dizer que o seu target principal é o diretor de X ou Y, mas você também deve saber que um processo de compra no B2B é longo, e influenciado por várias outras pessoas da organização ao longo do percurso. E nem sempre é o “diretor” que vai arregaçar as mangas e procurar por uma nova solução para resolver um problema do negócio. O Instagram pode ajudar você a chegar nos outros atores, como os influenciadores do processo de compra, ou os utilizadores –de um software, de uma máquina, entre outros exemplos.

2. O Facebook deixou de ser interessante há algum tempo.

Pergunte a alguém com menos de 30 anos quantas vezes por dia essa pessoa abre o Facebook. Se a resposta não for “nenhuma”, certamente será muito pouco. O problema é que essa geração (os famosos “Millennials” estão chegando agora às cadeiras decisoras nas organizações. Claramente, o Instagram foi uma ferramenta que avançou consideravelmente entre esse público, em detrimento do Facebook.

3. O algoritmo não é tão limitador.

Mesmo com as mudanças, o algoritmo do Instagram ainda não é tão limitador quanto o do Facebook. Usando hashtags, e criando conteúdo interessante, você pode conseguir com que seus produtos e serviços cheguem ao público certo. O interessante, também, é que o Instagram pode ser usado para branding, principalmente o employer branding, tão importante para atrair talentos.

4. O Stories permite criar conteúdos interativos e interessantes.

O Instagram tem a ferramenta Stories (que também foi incorporada ao Facebook) e permite a criação de conteúdos mais interativos e visuais. Ou seja, você dá o recado de maneira simples e bem mais impactante do que os tradicionais posts. Em formato de publicidade, o Stories pode ainda ser mais efetivo.

5. “Só tem criança no Instagram.”

De novo, um pré-conceito (que era válido até alguns anos), mas que cada vez mais tem caído por terra: a audiência de maior crescimento no Instagram é a faixa etária entre 30 e 49 anos. Em 2017, aliás, o segmento de mulheres entre 40 e 50 anos também teve uma ascensão enorme.

Bons exemplos pelo mundo

Algumas empresas já estão usando o Instagram no Brasil para fazer negócios, contar sobre sua cultura organizacional, inovação, entre outros. Conheça algumas delas:
1. @totvsbrasil: A TOTVS usa o Instagram principalmente para divulgar suas ações internas, contando hoje com mais de 11,8 mil seguidores. Algumas ações no Stories e no feed da empresa trazem informações e conteúdos rápidos relacionados a novas tecnologias e ao negócio da organização
2. @embraer: A brasileira Embraer tem mais de 54,2 mil seguidores no Instagram. Com fotos bem produzidas de aviões, as publicações da empresa são muito bem recebidas por uma grande comunidade de amantes do universo aeronáutico em todo o mundo.
3. @Cisco: Além de usar a rede social para divulgar participações em eventos e ações internas, a Cisco, que tem mais de 147 mil seguidores em seu perfil, usa o Instagram para chamar a atenção para temas relacionados a tecnologia e publicar conteúdos divertidos relacionados a TI e datas comemorativas.
4. @Oracle: O perfil da Oracle no Instagram, que tem 121 mil seguidores, traz uma série de postagens com legendas que trazem comentários relevantes e inspiradores sobre tecnologia e o futuro. Em vários posts a empresa também tenta empregar o humor. As fotos e os vídeos também são bastante atraentes para os amantes de tecnologia – afinal, quem não se detém no feed ao dar de cara com um vídeo de uma mão robótica se mexendo?
5. @hubspot: Com mais de 95,1 mil seguidores no Instagram, a plataforma de inbound marketing usa seu feed e o recurso Stories para postar uma série de frases inspiradoras e dicas relevantes de marketing para seus seguidores em pequenas galerias

Entre em contato

Tel: + 11 2246.3613
Av. Engenheiro Luís Carlos Berrini, 1748 - Cj 1710 - Cidade Monções, São Paulo - SP, 04571-000
SEG-SEX 09:00 - 18:00